NOTÍCIA

Projeto ‘Memória Viva’ homenageia ex-presidentes da OAB Niterói

Organizado pelo Centro de Documentação e Pesquisa da OABRJ, o projeto “Memória Viva” homenageou, na noite de quinta-feira, dia 3, os ex-presidentes da OAB/Niterói. Lar de mais de 12 mil advogados, a OAB/Niterói, criada em 1974 como a 16ª subseção da OABRJ, carrega o título de maior subseção do Rio de Janeiro e segunda maior do país. Seu importante papel nos rumos da advocacia fluminense foi tema da cerimônia que lotou o Plenário Evandro Lins e Silva, na sede da Seccional.

“A resolução que criou a 16ª subseção tem a assinatura do presidente Waldemar Zveiter, uma figura histórica para todos nós, o primeiro ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) enviado pelo 5º Constitucional do Rio de Janeiro”, afirmou a vice-presidente da OABRJ, Ana Tereza Basilio. “E, além desse documento, temos presentes aqui aqueles que fizeram essa história, e que construíram a maior subseção do Rio de Janeiro, e, por isso, nessa data tão feliz, eles recebem essa tão justa homenagem”.

O evento teve como mestre de cerimônias a vice-presidente da OAB Niterói, Vânia Bruno. Estiveram presentes na mesa de abertura o assessor da Presidência da OABRJ, Carlos André Pedrazzi; o procurador-geral e diretor do Departamento de Apoio às Subseções da Seccional, Fábio Nogueira; a secretária-adjunta da OABRJ, Mônica Alexandre; o atual presidente da subseção, Pedro Gomes, que permaneceu na segunda formação da mesa, rodeado por seus antecessores no cargo; e o diretor da Escola Superior de Advocacia (ESA) de Niterói, Júnior Rodrigues.

Da OAB Niterói, além do presidente Pedro Gomes e da vice-presidente, Vânia Bruno, estavam presentes os advogados: Júnior Rodrigues, diretor geral da ESA; Maria Auxiliadora Espíndola, diretora secretária da ESA; Walkíria Quintela, conselheira da OAB e diretora adjunta da ABA, ambas de Niterói; Andrea Kraemer, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania; Regina Russell, coordenadora geral de cursos da ESA Niterói; Jaqueline dos Santos, presidente da Comissão de Igualdade Racial; Gabriel Mello, delegado da Comissão de Direito do Trabalho; Bergman Leon, delegado da Comissão de Direito Condominial; Regina Peres de Abreu, conselheira; Bruno Marinho, presidente Acesso à Justiça Federal; André Rebelo, conselheiro; Fernando Dias, conselheiro; e Ivan Gonçalves, diretor-tesoureiro.

Participaram da segunda mesa os ex-presidentes Reinaldo Beyruth, Ronald Villela, Solange Mattos, Orquinézio de Oliveira, Fernando Guedes de Azevedo, Índio do Brasil e Cláudio Roberto Vianna. Morto em junho deste ano, Antônio José Barbosa, o Toninho, presidente da OAB Niterói por quatro mandatos consecutivos, entre 2007 e 2018, também foi homenageado no evento.

“Hoje o termo Casa do Advogado é utilizado em todo o Brasil, mas tenho a honra de dizer que a primeira Casa do Advogado veio da nossa cidade”, afirmou Pedro Gomes. “Foi um prédio construído pelas famílias e pelos advogados que militavam em Niterói e, muitas vezes, não tinham como voltar para as suas cidades. Sempre lembro disso nas entregas de carteira. Essa história muito me honra e fico feliz de vê-la sendo resgatada”.

Os ex-presidentes falaram sobre suas passagens pela presidência da 16ª subseção. Presidente entre 1981 e 1983, Reinaldo Beyruth aproveitou a ocasião para relembrar a estreita relação entre advogados e magistrados na cidade.

“Antigamente, a 16ª subseção englobava os municípios de Maricá, Itaboraí e Rio Bonito”, contou Beyruth. “Havia uma enorme interlocução com a Ordem dos Magistrados Fluminenses e uma participação muito grande da família dos advogados nas questões da Ordem. Fazíamos todo ano uma festa da comemoração do Dia do Advogado, da qual todo o Judiciário participava, que reunia 700 ou 800 pessoas todo ano. Fico feliz de ver a Solange sendo justamente homenageada conosco, porque me sinto um pouquinho responsável por sua passagem pela Presidência”.

Lembrada por Basilio como a primeira mulher a presidir uma subseção, abrindo caminho para avanços que levaram à paridade de gênero, Solange Mattos lembrou o papel da 16ª subseção no intenso momento político que o Brasil viveu no fim dos anos 1980.

“Herdei um movimento iniciado nas gestões anteriores e um momento político muito importante, que foi a promulgação da Constituição cidadã de 1988”, afirmou Mattos. “Aceitei o desafio e me cerquei dos melhores. Havia uma movimentação muito grande dentro da Ordem e abrimos as portas para o pleito da Federação das Associações de Moradores de Niterói, presidindo eleições e emprestando urnas. Havia uma interação muito grande com a sociedade. Cada um de nós trouxe seu tijolo na defesa do Estado Democrático de Direito e na história da OABRJ”.

Ex-presidente até 2021, Cláudio Vianna lamentou a perda de arquivos da subseção e destacou o trabalho realizado durante o período da pandemia do Covid-19.

“Cheguei à presidência da 16ª subseção e tive minha primeira decepção: a perda dos arquivos que tínhamos da OAB/Niterói, motivo pelo qual dou muita importância ao evento realizado hoje”, afirmou Vianna. “Nunca é tarde para recomeçar e hoje recomeçamos trazendo de volta uma história que jamais morrerá para quem faz parte da advocacia. Na minha gestão, enfrentamos o pior momento que o mundo já vivenciou, com ruas vazias e escritórios sendo fechados. Foi muito triste ter que autorizar tantas notas de pesar por falecimentos de colegas. Auxiliamos os advogados e inauguramos, com a ajuda da Seccional, as salas de audiências virtuais e a Casa do Advogado na Região Oceânica de Niterói, além de colocar o Portal da Transparência no site da subseção. Estive, estou e estarei ainda à disposição da advocacia de Niterói”.

Fonte: Site da Seccional RJ

#advogado #advocacia #oabrj #oabniteroi #esaniteroi #cfoab #caarj