NOTÍCIA

Presidente da OAB Niterói compareceu à posse da presidente da Acat

Pedro Gomes, presidente da OAB Niterói, esteve presente na solenidade de posse de Mônica Alexandre Santos, secretária adjunta da OAB/RJ, como presidente da Associação Carioca dos Advogados Trabalhistas (Acat) para o triênio 2022/2025.

Realizada na sede do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), no último dia 23, a cerimônia contou com a presença do presidente da Seccional, Luciano Bandeira, além de representantes de entidades como a Caixa de Assistência da Advocacia do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), a Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat), o Movimento da Advocacia Trabalhista Independente (Mati), o Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (Saerj) e a Associação Fluminense de Advogados Trabalhistas (Afat), além do Tribunal Regional da 2ª Região (TRT2).

Acompanhado por Júnior Rodrigues, diretor geral da ESA Niterói, Pedro Gomes cumprimentou a nova presidente da Acat, Mônica Alexandre. O presidente da OAB Niterói também esteve com Marcello Oliveira, diretor-tesoureiro da Seccional RJ; Eduardo Carlos de Souza, presidente da OAB Maricá; Angela Borges Kimbangu, corregedora do Tribunal de Ética da OAB/RJ e presidente da Advocacia Preta Carioca; Isabel de Lemos Pereira Belinha Sardas, diretora do Mati, e Flávia Pinto Ribeiro Magalhães, presidente da Comissão OAB Mulher da Seccional/RJ.

A OAB Niterói também esteve representada pelos conselheiros Waltair Costa de Oliveira, Jeane da Silva Viviani, Luiz Henrique de Oliveira Júnior e Lis Barroso Borges de Oliveira.

"Vivemos um momento de transformação", afirmou Luciano em seu discurso, lembrando a bem-sucedida política de paridade de gênero da Seccional.

"Tive a honra de ter ao meu lado, em todas as sessões do Conselho Seccional, Mônica Alexandre, que é a primeira mulher negra diretora da Seccional. Parece pouca coisa, mas não é. É um trabalho de muito tempo, uma caminhada muito longa. Mônica é a representatividade e o primeiro passo para uma igualdade verdadeira, sem barreiras, e estará no comando de um dos projetos mais importantes dessa gestão: o censo da advocacia, que nos dirá, em números reais, a quantidade exata de advogados negros e pardos no estado".

Antecessor de Mônica na Acat, Alexandre Bastos fez seu último discurso como presidente da associação, destacando os feitos de sua gestão e as esperanças em relação à nova presidente.

"No início da pandemia, com sinais de que não acabaria rapidamente, lamentei – afirmou Alexandre, bastante emocionado. Mas como nunca consigo enxergar o copo meio vazio, voltei a enxergá-lo meio cheio. Espero que ao menos esta gestão tenha servido como um remédio necessário para atravessarmos esse momento, sem nunca ter-nos omitido de qualquer discussão, demonstrando com todo o vigor nossa luta por melhores condições de trabalho para a advocacia trabalhista carioca. No momento da nossa inscrição de chapa escolhemos o nome 'Orgulho de ser Acat', pois era o que a associação precisava. Posteriormente, minha amiga, advogada trabalhista, uma liderança, minha irmã preta, merecedora de todos os louros e homenagens, Mônica Alexandre Santos apresentou a chapa 'Acat com representatividade'. E é isso que teremos".

Completaram a mesa do evento a ex-presidente da Acat e do IAB, Rita Cortez; o tesoureiro da Caarj, Fred Mendes; a vice-presidente do Saerj, Adilza Nunes; o presidente da Abrat, Otávio Pinto e Silva; o diretor executivo do Mati e conselheiro seccional da OAB/RJ, Marcos Maleson; a deputada estadual Mônica Francisco; o representante do TRT2, Daniel Rocha Mendes, e a presidente da Afat, Cristina Targino.

Em seu primeiro discurso como presidente, ovacionada de pé pela plateia, Mônica destacou os objetivos da associação para o triênio e prometeu uma gestão inclusiva e aberta.

"Sei que não parece, mas sou uma pessoa muito emotiva, e 2022 tem sido um ano de conquistas e realizações, mas também de muito trabalho e muita luta, na Ordem e na Acat – afirmou a recém-empossada presidente. Quero citar uma mulher que significa muito na minha vida: Antônia Mara dos Santos Alexandre. Ela é minha ancestral e completaria 96 anos hoje. Ela me presenteou com sua sabedoria. Aprendeu a ler e escrever riscando o chão com carvão e tinha uma letra de caligrafista. Nossa gestão terá como objetivo a união entre todas as entidades ligadas à área trabalhista. Nossa diretoria estará aberta a dialogar com toda a advocacia e seus segmentos. Vamos sustentar e valorizar o significado de nossa chapa, que é a Acat com representatividade. Abraçamos orgulhosamente a missão que nos foi dada. Vou honrar meus antecessores, meus ancestrais e meus companheiros de luta".

(Fonte: Site da Seccional RJ)